top of page

Cicatrizando

Convivendo com a Fibromialgia e problemas psicoemocionais.

Como disse Juvenal, o poeta romano: “Mens sana in corpore sano” (Mente sã em um corpo sã). Estou aqui buscando exatamente isso. O em busca da minha cura e cicatrizando.com é um veículo que encontrei para externar o que estou sentindo e vivendo. Além do desabafo que ajuda a aliviar, quero mostrar as(os) leitoras(es) que não estão sozinhas(os), sei que ninguém nos compreende, aqui podemos trocar experiências e ajudarmo-nos uma as outras (uns aos outros). Dedique alguns momentos para ler os meus posts e  compartilhar a sua história.

Buscar
  • Foto do escritorTiane d'Souz

A insegurança no amor…


“A crueldade de que se é capaz Deixar pra trás os corações partidos. Contra as armas (…) tão mortais. A submissão às vezes é um abrigo... Todas as formas de se controlar alguém, Só trazem um amor vazio… Saber amar, Saber deixar alguém te amar… O amor te escapa entre os dedos, E o tempo escorre pelas mãos.” (Hebert Vianna).

"Quem inventou o amor, me explica por favor. Quem me disse o que aconteceu, faz de conta que passou... Enquanto a vida vai e vem... (Renato Russo).

O que é o amor? Por que achamos que somos donos da verdade, da razão, de todas as virtudes, de tudo que é bom? Achamo-nos que somos donos do outro? Será que é amor ou desejo de poder, se submeter a sua vontade? O que será que prende dois seres tão diferentes entre si? Será que estão aprisionados entre si ou lado a lado? Será que sou um fardo? Será que realmente me ama? Foi só capricho, caso do acaso ou vaidade? O desafio, querer submeter aos caprichos? E por quanto tempo vai me amar? Eu sobrecarrego? Se eu não for quem sempre fui, vai amar esse novo eu? Então preciso mudar? Quando mudo e faço o que queres, por que não satisfaz? Se me ama, por que diz isso e me trata assim? E a pior de todas para mim: Será que tem pena de mim??? E se tem, é por isso que está comigo?

Todas precisam de um porto seguro, um lugar de conforto e segurança. Tem a quem amar e ser amado, dividir a vida, planos e ideais... A segurança do lar, o cuidado fratenal, o carinho afetuoso, a paixão, o abrigo de um abraço, o aconchego de uma boa companhia, a confiança da amizade, o companheirismo da relação, a paz do perdão, a certeza da segunda chance, o dom do arrependimento, o ombro que consola e ouvidos que não julguem. Poderia escrever uma lista sem fim, por ora chega. Outrossim, essas necessidades não nascem conosco, está intrínseca desde o ventre materno, nos laços de nossa família primária, amigos, casamento, filhos…

Quando casamos prometemos ficar juntos na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, em todos os momentos. Todavia, quando estamos vulneráveis pela enfermidade, é muito difícil ter essa tranquilidade e equilíbrio, Principalmente doenças emocionais.

A vontade de voltar a ser tudo como era, de ser quem um dia fui. Fingir que nada mudou, mesmo tendo mudado tanto. Como esquecer tanta dor? Tudo que passou, cada palavra mordaz, tratamento rude, acusação infundada, perdões não recebidas, chances privadas, julgam julgamentos incorretos, precipitados e sem direito a defesa, pois junto com a arrogância da onisciência, vem a aplicação da sentença …

Na verdade, quanto ainda tenho de mim? Quanto mudei por cada ser que encontrei e cada pedra que tropecei. Será que me lembro quem sou? A única certeza é a dor, o vazio, sofrimento, dúvidas, culpas e cobranças que não sei se são minhas, paranóias por perfeição ou para agradar aos outros, ser melhor para fazer feliz, cuidar ou ser aceita. E quem cuida de mim? Eu não devo me flagelar tanto, porém, se eu não for boa, ainda estarão ao meu lado? Agora, não quero mais, cansei, entrego os pontos. Aí, o meu anjinho e o Espírito Santo vem ao pensamento e me fazem lembrar o porquê preciso ficar, mesmo querendo ir. Visto minha armadura, seco minhas lágrima, escondo minhas feridas , coloco um sorriso no rosto e volto a luta, esperando o momento da dispensa e descanso eterno.

É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar pra pensar, na verdade não há! (Renato Russo).

Tiane d’Souz


7 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 Comments


Horácio De Souza
Horácio De Souza
Apr 14, 2022

Tente outra vez

Like

Horácio De Souza
Horácio De Souza
Apr 14, 2022

Lindo texto amor, Vinicius e Tom trazem em sua bela Canção "eu sei que vou te amar por toda minha vida vou te amar, em cada despedida vou te amar;... A eterna desventura de viver a espera De viver ao lado teu Por Toda a minha vida.

Hoje conversando Com William sobre o que é o amor foi dito que é algo que não se sabe explicar, não é algo palpável ou com uma maneira e formula certa e errada e que cada um tem sua forma de amar, alguns de forma egoísta, confusa e incompreendida.

Como eu sou um girassol, você é meu sol)(..)1,69m de sol". eu não sou a melhor pessoa para demonstrar o amor e sentimentos ,…

Like
bottom of page