top of page

Cicatrizando

Convivendo com a Fibromialgia e problemas psicoemocionais.

Como disse Juvenal, o poeta romano: “Mens sana in corpore sano” (Mente sã em um corpo sã). Estou aqui buscando exatamente isso. O em busca da minha cura e cicatrizando.com é um veículo que encontrei para externar o que estou sentindo e vivendo. Além do desabafo que ajuda a aliviar, quero mostrar as(os) leitoras(es) que não estão sozinhas(os), sei que ninguém nos compreende, aqui podemos trocar experiências e ajudarmo-nos uma as outras (uns aos outros). Dedique alguns momentos para ler os meus posts e  compartilhar a sua história.

Buscar
  • Foto do escritorTiane d'Souz

O amor é o fogo que arde sem se ver…



Hoje vou falar sobre como nosso ciclo social e/ou familiar pode ser perverso e cruel conosco. Ainda que as pessoas não percebam ou tenham intenções de ser.

Citando alguns trechos da canção de Zero, "Agora eu sei". Ela demonstra um pouquinho do que quero explanar.

“ Quem vive, mente mesmo sem querer. E fere o outro, não pelo prazer. Mas pela evidente razão, sobreviver(…) Não é possível mais ignorar Que quem me ama me faz mal demais (…) Tem gente boa que me fez sofrer Tem gente boa que me faz chorar, me faz chorar”

Costume dizer que as pessoas nos fere a proporção que as amamos. Isso quer dizer que, nem sempre precisa ser algo grandioso para nos ferir “mortalmente”, todavia, se for de alguém muito especial, até um “deixa de frescura” pode levar a abismos tão profundos, que é quase impossível acreditar que um dia veremos a borda novamente, imagine sair dele.

Tenho vivido alto e baixos nos meus dias, agora já está claro saber que algumas pessoas são tóxicas para mim. Já entendo o quanto me afeta, de algumas me afastei e blindei-me contra os dardos inflamáveis delas. Outras, nem tem como me distanciar, e elas são verdadeiras vampiras de emoções, sugando toda minha força vital, não há blindagem que resista.

Hoje ainda está doendo muito mais que o normal, é difícil. Para quem conhece a cultura pop dos heróis, parece que tive uma overdose de criptonita. Minhas forças estão exauridas, além da reação corporal que a fibromialgia traz, minha imunidade baixou com estresse, ansiedade e tudo associado. Isso trouxe alergias e outros males. Nunca foi frescura, preguiça ou moleza, menos ainda exagero. Tente imaginar comigo que nosso sistema nervoso central tenha um botão de dor, que foi girado ao máximo até quebra no máximo. Agora ele está hipersensível e descontrolado. É basicamente isso a fibromialgia na prática. Às vezes a pessoa só segurou um pouco mais firme e parece que ela apertou com toda força, noutras surge uma dor super forte em uma parte do corpo que várias vezes, eu nem sabia que existia (hahaha). Ou uma "punhalada", ou um repuxe num tendão. Fora que já é normal cefaleia, rigidez muscular (principalmente matinal), exaustão, como a lista é longa, vou parar por aqui. Tem uma estatística que 50% das pessoas com fibromialgia tem depressão, ansiedade ou ambas. Pense bem antes de julga!

Me conte, o que pensas sobre isso?

Tiane d'Souz


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page