top of page

Cicatrizando

Convivendo com a Fibromialgia e problemas psicoemocionais.

Como disse Juvenal, o poeta romano: “Mens sana in corpore sano” (Mente sã em um corpo sã). Estou aqui buscando exatamente isso. O em busca da minha cura e cicatrizando.com é um veículo que encontrei para externar o que estou sentindo e vivendo. Além do desabafo que ajuda a aliviar, quero mostrar as(os) leitoras(es) que não estão sozinhas(os), sei que ninguém nos compreende, aqui podemos trocar experiências e ajudarmo-nos uma as outras (uns aos outros). Dedique alguns momentos para ler os meus posts e  compartilhar a sua história.

Buscar
  • Foto do escritorTiane d'Souz

Aceitação para a cura, ou continuar com a dor?

Atualizado: 14 de out. de 2023


Vendo está imagem e refletindo sobre um exercício muito cruel que tenho que fazer se quiser mudar minha situação mediante a FM(fibromialgia), que para quem não sabe, não é apenas dores no corpo, o que já é terrível, um exemplo para ilustrar essa dor. Imagine que você um aparelho de som, de uma hora para outra você observou que o botão do volume foi quebrado na maior potência. E, ainda que você coloque música clássica, de meditação, quaisquer música, por mais suave que seja, como o volume está no máximo, incomoda, dói os ouvidos, perturba a mente, dentre outros problemas. De repente, alguém colocou um punk rock?

A grosso modo é assim a reação do corpo de uma fibromiálgica (o), observe que só falei de uma parte da dor física, tem dormência, dores tipo cãibra, outra como se tivessem usando espetos de churrasco enviando na carne (que por sinal, se eu descobri quem fez uma bonequinha e agulha contra mim, vou descontar diretamente, kkkkk). Brincadeiras a parte até o não fazer nada dói,

Essa figura me representa, está árvore linda, frutífera, antes da FM, vibrante, eficiente e eficaz, e acordo como a árvore seca, gélida, perdi minhas folhas e frutos, a sombra, a cor, o brilho, estou murchando num mundo frio, triste, solitário (sim, ninguém te entende, nem mesmo quem tem, cada um tem suas intensidades e sintomas comuns, e os específicos, cada organismo é único), FM aguda, nem o Hulk se sentiria forte.

Mudar dói, aceita a mudança é ainda pior, mas renovar é preciso para florir na próxima estação. Confesso que ainda estou buscando aceitas aos trancos e barrancos, Parece que fizeram uma transferência de consciência e colocaram num corpo similar, deteriorado.


Sinceramente, a tua opinião não vai mudar nada, se não tens nada de bom e reconfortante, o silêncio é melhor que as críticas e receitas milagrosas. (Às vezes fico me perguntando quem é mais idiota, sério e sem querer ofender ninguém, Se são os influenciadores que colocam quaisquer coisa na internet sem se preocupar com aqueles que estão desesperados em busca da cura, visando apenas monetizar, lucrar. Se são os consumidores de conteúdos que acreditam em tudo que vê, ouve... e repassam como quem está salvando a vida do outro. Se são os médicos e profissionais da saúde que estudam tanto para nada, pois poderiam forma-se assistindo um "corte" e serem diplomados pelas redes sociais. Ou ainda se SOU EU, pois enxergo, analiso e penso diferente.)

Já me mandaram parar de tomar tantos remédios que não vão curar, para dor tomo chá disso, para desinflar e imunidade aquilo é maravilhoso... Quando tento explicar que meu corpo está perfeitamente saudável, que é um problema psicoemocional, me respondem, ahhhhhhhhhhhhhhh, então não está tão ruim assim, é só você esquecer essas coisas. \deixe o passado para trás e viva o presente. Aí eu me pergunto, se estou com dor (FM aguda e seus inúmeros sintomas), com depressão maior e TAG agora, o que o passado tem com isso. Tudo bem que a origem foi lá atrás, todavia, as dores e sofrimentos estão neste exato momento, no presente, e continuará para toda minha vida. Posso ter um controle para ter qualidade de vida, Contudo sempre com altos e baixos.

Quando me vir nevar, não julgue, não precisa fazer nada, apenas não atrapalhe, precisamos de apoiadores, problemas e momentos por superar não nos falta, tente ao menos não ser mais um obstáculo ou puxada do tapete. São raros os que nos dão as mãos para nos levantar, difícil quem apenas observa, todos o outros estão com pedras nas mãos.


Vou continuar tentando, mantenho o blog como forma de dar as mãos aos que não tem com quem contar, apenas ouvir ou ser empático. Você não está só, são entre 2,5% a 5% da população mundial diagnosticada, mas sabemos que há uma subnotificação. Levaram 20 anos para me diagnosticar. Quantas outras pessoas também ainda não foram diagnosticadas?

Precisamos criar coragem de falar, quem sabe em coro nos escutem, que essa corrente se fortaleça e direitos sejam conquistados, respeito e tratamento de qualidade.

Tiane d'Souz



2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page